22 março, 2015

Um lamento e um novo desafio


Olá, gente! Tudo bem?

Acho que eu já perdi a conta de quantas vezes falei por aqui que sou Farmacêutica Hospitalar e que amo trabalhar na área da saúde. Amo mesmo, tanto que fiz mais de 1000 horas em estágio de farmácia hospitalar quando precisava fazer só 200. Estudei e fui fazer Residência em Farmácia Hospitalar na Universidade Federal Fluminense, quando a residência nem é obrigatória para os cursos de farmácia (assim como é para medicina). 
Dediquei cada curso extra ou atividade complementar da minha graduação a estudar e entender como essa área hospitalar funciona. E resolvi me especializar nela. 

Mas como a maioria de vocês deve saber a área de saúde no país é uma das menos valorizadas. Deve ser tão pouco valorizada quanto as áreas da educação (infelizmente acho que professor é até menos valorizado). Daí essa desvalorização constante e falta de investimentos no setor cansa....Estou há quase 6 anos nessa estrada. Na mesma... Desde que me formei não fiquei um só dia sem emprego, ao contrário, colei grau num dia e no dia seguinte estava na porta da faculdade para conseguir um documento comprobatório pois tinha passado no concurso da residência. Então estou há quase 6 anos dentro da farmácia hospitalar. Desde o estágio já passei por 6 hospitais diferentes, sendo 3 públicos e 3 particulares. Os dois últimos particulares em que trabalhei (um é o que trabalho atualmente) são da mesma rede. As unidades públicas e privadas tem suas diferenças gritantes, mas tem coisas importantes para sua carreira que só o serviço público te ensina. Na verdade eu estudei para trabalhar para o SUS, mas meus caminhos me levaram a rumos diferentes e não trabalho no serviço público e sim no privado. Gosto disso? Não! Gosto do meu trabalho? Sim!....É a vida....Já tentei retornar ao serviço público? Sim, várias vezes....mas como eu disse, a saúde no país é realmente uma piada....

Na verdade (a visão que se tem) o profissional farmacêutico é um empecilho, criado por uma lei mais velha do que eu....a lei que obriga todo estabelecimento de saúde ter um farmacêutico. E é aqui que quero chegar. O SUS é lindo, nossa legislação sanitária é linda, a ANVISA é linda....tudo no papel....Quando chega no "vamos ver" a coisa muda de figura. Em muitos lugares o farmacêutico existe porque é obrigado, não porque ele precisa estar ali....Ninguém sabe para que ele serve, qual a função dele....triste, né?

Essa "lindeza" toda não chega nos conselhos e sindicatos de classe que não conseguem se entender entre piso salarial e carga horária. Na verdade o piso salarial farmacêutico é uma vergonha e provavelmente continuará sendo por muito tempo, pois como eu disse os investimentos em saúde são uma piada. Quando se fala na carga horária então, nem se fala...É claro que as empresas vão procurar seguir a risca a CLT e suas 44 horas semanais (que eu particularmente já acho um absurdo). Eu me pergunto: algum profissional de saúde tem condições físicas e/ou psicológicas de trabalhar 44 horas na semana? Com todas as mazelas da saúde no Brasil hoje?

Jamais imaginei que fosse estudar Farmácia, fazer residência e ter carga horária de peão de obra. Nada contra com quem é peão de obra...mas a impressão que eu tenho é que meu trabalho deveria ser mais intelectual do que braçal...É por essas e outras (nossa, muitas outras) que tenho refletido bastante sobre seguir na carreira. Amor a camisa é muito bonito na teoria, mas a verdade é que todo mundo tem contas para pagar.

Há uns dois anos mais ou menos amadureço a ideia de um novo rumo, um novo desafio que me faça querer seguir em frente. E é por isso que resolvi embarcar numa segunda graduação. Verificar se aquilo que eu escolhi ser é mesmo o que eu quero para o resto da minha vida...pois me parece que não é...

Então eu resolvi começar no Curso Superior de Jornalismo. Me parece tranquilo, sem estresse, a faculdade é quase do lado da minha casa. As aulas terminam as 22:00h. Me colocaram em apenas 4 matérias, para ajudar na readaptação. Tem muitias matérias divertidas, muito texto, muita leitura, fotografia, mídias sociais....resumo, me parece o paraíso. Será? ahahahaha....sempre tenho a impressão que a grama do vizinho é sempre mais verde...E não costumo me deixar levar por isso...

Não sei se é definitivo, não sei se continuo.... mas como eu falei, preciso de um novo desafio. Preciso testar novas possibilidades, e a melhor hora me pareceu agora. Pois do jeito que a área farmacêutica está, não vejo um futuro muito promissor não....


Formada em Farmácia Hospitalar. Apaixonada por ler e escrever desde sempre. Criou o Blog em 2013 para compartilhar seu amor pelos livros, séries e filmes.

Comente com Blogger
Comente com Facebook
Comente com Google+

2 comentários:

  1. Acredite, mesmo sabendo de tudo isso meu filho mais novo começou o curso de farmácia. Até achei engraçado certo dia quando fomos a dentista e ela perguntou ao meu filho se ele conhecia farmacêuticos velhos a não ser o dono da farmácia rsrs. Segundo ela eles não aguentam trabalhar sábados, domingos e feriados, então, caem fora. Mas, fazer o quê? Ele fez a escolha. Ainda digo que ser professor neste país é ainda mais difícil, pois estou aposentando de um cargo (tenho dois para ter um salário digno) e acredito que vou morrer sem ver a verdadeira "pátria educadora" que tanto tem se falado. Vamos caminhando... Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é....é muita responsabilidade, muito trabalho para pouco reconhecimento. Principalmente o financeiro, pois todo mundo tem conta para pagar. O que mais me entristece é que estudei muito, muito mesmo...e a impressão que tenho é que foi para não chegar a lugar nenhum....

      Excluir

Olá, leitor!
Se você chegou até aqui, fique sabendo que já fiquei feliz!
Se quiser deixe seu comentário que responderei em breve! Se tiver blog saiba que logo logo lhe farei uma visitinha ♥

 
Uma leitura a mais © Todos os direitos reservados :: Design e desenvolvimento por Gabi Melo :: voltar para o topo