07 junho, 2015

{Especial} Mês dos Namorados ♥ Dia 6 - Romeu e Julieta


Olá, leitores do Uma leitura a mais!

Ontem não teve post do dia 06 no Especial por motivo de "Fiquei o dia todo passeando no Jardim Botânico, numa caminhada ecológica guiada, daí não consegui publicar, sorry.......mas vamos lá!

Dando continuidade ao Especial do Mês dos Namorados, hoje trago um post diferente. É de amor? Sim....é sobre amor, mas um amor que não tem final feliz....Quer história mais LINDA e TRISTE que a de Romeu e Julieta? Mas não dá, em se tratando de amor, o deles supera gerações e gerações e fica no topo da lista das histórias mais apaixonantes da literatura.

Ahhhh...o amor.....


Romeu e Julieta  é uma tragédia escrita entre 1591 e 1595, nos primórdios da carreira literária de William Shakespeare, sobre dois adolescentes cuja morte acaba unindo suas famílias, outrora em pé de guerra. A peça ficou entre as mais populares na época de Shakespeare e, ao lado de Hamlet, é uma das suas obras mais levadas aos palcos do mundo inteiro. Hoje, o relacionamento dos dois jovens é considerado como o arquétipo do amor juvenil.

Eu já li uma espécie de história em quadrinhos para o curso de inglês há muito tempo. Não me lembro exatamente se li a peça original, apenas vi o belissímo filme do Franco Zefirelli e o do Leonardo Dicaprio (odeio!).
Nunca parei para estudar de verdade a história, mas superficialmente podemos dizer que ela tem de tudo, da tragédia a comédia, passando pela poesia. É considerada ainda hoje umas das melhores obras shakespereanas.

O amor de Romeu por Julieta é intenso, tão intenso que ele esquece completamente de Rosalinda, a moça que ele julgava amar antes de conhecer Julieta. A briga entre as famílias é um artifício muito usado até hoje em muitas novelas brasileiras, com um imenso sucesso, diga-se de passagem.

Apesar de ter um final triste, ou melhor trágico, ainda assim gosto muito dessa história, afinal quem não gosta de histórias de amor?






E lembrando que tá rolando dois sorteios especiais, de Top Comentarista lá na Fer, do Mato por Livros e por aqui com as postagens especiais do dia dos namorados ♥. 

Saiba mais aqui





* Esse post faz parte do Especial Dia dos Namorados, comente para ter mais chances no sorteio, para participar, faça a inscrição no post do dia 01♥♥♥

Formada em Farmácia Hospitalar. Apaixonada por ler e escrever desde sempre. Criou o Blog em 2013 para compartilhar seu amor pelos livros, séries e filmes.

Comente com Blogger
Comente com Facebook
Comente com Google+

4 comentários:

  1. Como não amar?
    Nossa Shakespeare é tudo de bom. Ainda terei a coleção dele completa, ele com certeza, para mim pelo menos, é o maior autor e dramaturgo que já existiu como pode? Ele inspirou milhares e milhares de histórias e releituras mundo afora.
    Só R&J tem milhares de releituras e adaptações, até nacional, o que confesso, não achei que ficou tão ruim assim. Aiii amo demais essa história, mas ainda sofro com o final rs.

    Beijoss
    Fer

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fer, qualquer ser humano normal sofre com esse final kkkkkkkkkkk
      bjs

      Excluir
  2. Li essa história anos atrás e lembro que achei estranha a forma como ela era contada, o texto é todo para teatro, mas no geral me envolvi com a história mais conhecida do mundo. Além disso vi vários filmes e mesmo sabendo do final sempre torcia para que algo mudasse o fim deles. Mas enfim valeu a lembrança nessa semana especial!!!
    Beijos

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho essa forma teatral muito fantástica, pelo menos nessa história, faz ela ser contada mais rápido kkkkkkk, sempre gostei muito, mas a morte acaba nos deixando chateados, pois sempre queremos um final feliz né?
      bjs

      Excluir

Olá, leitor!
Se você chegou até aqui, fique sabendo que já fiquei feliz!
Se quiser deixe seu comentário que responderei em breve! Se tiver blog saiba que logo logo lhe farei uma visitinha ♥

 
Uma leitura a mais © Todos os direitos reservados :: Design e desenvolvimento por Gabi Melo :: voltar para o topo