11 abril, 2016

{Resenha #119} A Seleção - Kiera Cass



Olá, pessoal, tudo bem?

O livro que eu venho falar hoje é um pouco diferente do que eu costumo ler por aqui, pois confesso que não sou muito fã de distopias. Ainda mais distopias voltadas para o público adolescente com um quê de contos de fadas.

Mas como não resisto a uma boa promoção, pirei quando vi essa na Saraiva. Tive que comprar a Trilogia da Seleção, da autora Kiera Cass, publicada pela Editora Seguinte.


A Trilogia da Seleção é um grande e absoluto sucesso da autora Kiera Cass. É uma espécie de distopia, com um toque de contos de fada (em especial a história da Cinderela), misturado com Jogos vorazes e um pouco de My fair lady. Bom, foi essa a sensação que tive ao ler. Um conjunto de várias ideias costuradas para gerar uma nova história. 


Aviso!
Caso você ainda não tenha lido os livros, pense bem antes de ler essa resenha, pois eu não dou spoilers diretos, mas como a história já é bem conhecida e a chamada do próximo livro é 6 garotas e uma coroa todo mundo já sabe que America termina o livro como membro da Elite. 

Num mundo que já foi devastado por guerras mundiais sucessivas, existe um reino chamado Illéa. Lá a sociedade é dividida em castas, uma espécie de estratificação  social, caracterizada pela transmissão hereditária de um estilo de vida que frequentemente inclui uma profissão, status social e exclusão baseada em situações pré-definidas. 

Em Illéa existem 8 castas, que vão desde a nobreza e o clero, pertencentes a casta 1 até pessoas com deficiência (especialmente quando desamparadas), viciados, fugitivos, sem-tetos, pertencentes a casta 8, a mais baixa de todas.

America Singer é uma menina de 17 anos que pertence a casta 5, composta por músicos, dançarinos, fotógrafos e artistas de modo geral. Ela canta e toca vários instrumentos, incluindo piano e violino. Tudo o que ela quer na vida é poder ajudar a sua família, que é bem pobre e se casar com Aspen, seu namorado secreto há dois anos. Porém ele pertence a uma casta inferior. Caso ela se case com ele também "descerá" para essa casta.


Não queria ser da realeza
Não queria ser Um
Não queria nem tentar 

Tudo muda na vida de America quando duas coisas acontecem. Primeiro, ela recebe um convite para a Seleção, um "concurso"...."competição"...."um jogo"  para que o Príncipe Herdeiro do Trono de Illéa escolha uma esposa. Tipo um baile da Cinderela, sabem? Só que numa escala muito maior. Segundo, Aspen acaba terminando com ela, pois sendo muito mais pobre não quer submetê-la a essa vida de servidão, caso viessem a se casar.  
Então, mesmo achando que não tem chance, America acaba se inscrevendo na disputa e para sua surpresa acaba sendo selecionada, junto com mais outras 34 garotas. Então ela parte de sua província rumo ao Palácio Real. 


Seu plano é relativamente simples, ela quer ajudar sua família, já que as famílias das selecionadas recebem uma pequena pensão enquanto durar a Seleção e mudam de castas, ascendendo socialmente. Então ela poderia melhorar de vida e com isso ajudar sua família, não é fantástico?  Melhor ainda, ela teria um tempo longe de Aspen para refletir sobre sua vida (tipo, refletir depois que levou um pé na bunda, quem nunca, né?).

Porém lá chegando, America descobre muitas coisas. Primeiro, que a Seleção é uma espécie de Jogos Vorazes, onde as mais lindas e educadas garotas são quase capazes de matar para conseguir a Coroa, já que a Seleção implica que a escolhida ganhará a mão do príncipe em casamento, se tornando a próxima Princesa e futura Rainha de Illéa. Segundo, que o Príncipe Maxon é extremamente educado, bondoso, carinhoso, divertido e ...atraente. A conexão entre eles é imediata e acabam se tornando bons amigos. Terceiro, que America começa a refletir sobre tudo o que tinha planejado para si mesma, tendo o início de um vislumbre que a vida com que sempre sonhou talvez não seja nada comparada ao futuro que ela nunca tinha ousado imaginar. 


Tenho que admitir que a história é bem fofa e que a escrita da autora realmente vicia, sendo bem direta e fluida. Comecei a ler o livro de pufft...quando dei por mim já tinha lido umas 200 páginas....

America é um menina frágil e forte ao mesmo tempo, embora num primeiro momento ela não se dê conta dessa força. Tanto que se assusta com todo o esplendor do palácio. Um mundo de lindos vestidos, criados e joias. Tudo que ela nunca teve, mas que também nunca sonhou. Tanto é que fica muito amiga do trio de criadas que ganhou para ajudá-la durante sua estadia no palácio. America ganha pontos sem nem mesmo estar buscando por eles.

A Seleção consiste em alguns cursos de etiqueta, de leis, de história do país, mesclado a bailes, recepções com dignatários, tudo isso com direito a encontros com o Príncipe Maxon, para que ele possa conhecer melhor as garotas e escolher uma delas. Porém, muitas vezes, diante de plateia, já que quase todos os passos da família real são televisionados pelo Jornal Oficial para todo o reino. 



America não quer nada disso. Como ela diz a Maxon, ela só está ali pela comida (coisa que tenho certeza que Kiera Cass se inspirou em Para Sempre Cinderela, mais um conto de fadas). Ela realmente não quer saber dos holofotes, da invasão de privacidade e muito menos da Coroa. Ela tem a ideia fixa que outras garotas seriam melhores princesas que ela. Uma pena que Maxon venha com um grande pacote, vocês não acham?

Além disso tudo, o palácio ainda passa por ataques de rebeldes que são contra a Monarquia. Porém, como ela e Maxon vão se tornando cada vez mais próximos ela começa a pensar que realmente poderia chegar a amá-lo. Claro, né? A criatura é extremamente doce e apaixonante, como eu já falei. E falo por experiência própria que os melhores amores são aqueles que surgem de uma sólida amizade. 

E no meio disso tudo, Aspen ainda se torna guarda no palácio, designado para proteção das selecionadas e está quase sempre por perto. É claro que America fica confusa, sem saber o que esperar da sua vida. Um mundo de responsabilidades e possibilidades ou um mundo de uma pessoa comum?

No entanto, como Maxon tinha lhe feito uma promessa de mantê-la no palácio o tanto que pudesse e que só a mandaria embora se ela lhe pedisse, ela acaba virando membro da Elite, as seis garotas com chances de vencer a disputa e ganhar o coração do Príncipe.

Gente, me perdoem....foquei tanto em America e Maxon que mal falei das coadjuvantes mais diversas que podemos ter na Seleção. Marlee, uma menina doce e meiga que vira melhor amiga de America; Kriss, que para America é a candidata mais provável; Celeste, uma modelo da casta 2 que é super competitiva e seria capaz de tudo para ser a próxima princesa de Illéa. Isso só para citar as mais importantes. 

Enfim, falei ....falei....e realmente não sei se fiz uma boa resenha. Acho que só podemos tirar algumas conclusões sobre muitas coisas após a leitura do livro 2 (que já o fiz). E me perdoem pelo texto GIGANTE, mas foi mais forte do que eu!

Então só tenho a dizer que apesar de se direcionada a outro público, uma boa leitura pode satisfazer até leitores mais velhos, como é o meu caso. Delicinha de se ler e super recomendada. 

E ah, Fernanda, muito obrigada por ouvir todos os meus áudios loucos no whatsapp enquanto eu lia e ia martelando todas as possibilidades na minha mente!

Espero que tenham gostado e até a próxima! 




Formada em Farmácia Hospitalar. Apaixonada por ler e escrever desde sempre. Criou o Blog em 2013 para compartilhar seu amor pelos livros, séries e filmes.

Comente com Blogger
Comente com Facebook
Comente com Google+

2 comentários:

  1. Não se pode ter um preconceito literário né hahahaha eu também não gosto desse tipo de literatura, mas também quem resiste a uma promoção hahahah
    Primeira vez que visito aqui e gostei muito de como escreveu ...Voltarei sempre.
    Abraços

    www.cherryacessorioseafins.com.br

    ResponderExcluir
  2. Tá de brincadeira meu????? Que resenha MEGALINDA MARAVILINDA tudo de lindo kkkk.

    Meu, se eu não tivesse lido, iria querer ler, mas como já li caracaaaa queria ler de novo. Ou droga é sentir saudade de personagens, querer encontrar com eles de novo, mas ter outros milhares na estante implorando para serem conhecidos.

    Sua resenha está mais que mil, uma das melhores que li até hoje. Sério, não é babação de amiga coruja não.
    Você sempre se expressa muito bem. Sempre te admirei.

    E estou tão feliz que vc tenha gostado dessa história.
    E tem razão, acho que os melhores amores, nascem de amizades rs.

    E essas fotos???? Aiii pago vários paus kkkk.
    Tudo perfeito. Poxa, eu preciso ler de novo. Mas vou me contentar em ler a Herdeira e a Coroa, espero que seja o suficiente para matar a saudade.

    Nem sei mais o que dizer, sua resenha ficou top das top, mesmoooo.

    Agora vou voltar para o face, terminar de responder por lá, cair fora e voltar para o livro que estou lendo. Nacional, claro e mais um que amoooo de paixão, com um puta personagem inspirado na fera kkkk.

    Beijoss ah e meu me marca nas próximas resenhas. Sei que estou sendo uma amiga relapsa e não venho mais te visitar, mas o que me consola é que sei que você me entende. Acho que minha vida só volta ao normal ano que vem, ou não, ou antes, vai saber. Ando revendo algumas prioridades na vida kkk.
    Mas sinto muita falta mesmo daqui Seu blog para mim sempre será um dos melhores.

    Beijosss
    Ah de novo kkk, e concordo com a SImone ai acima, não se pode ter preconceito literário kkkk

    ResponderExcluir

Olá, leitor!
Se você chegou até aqui, fique sabendo que já fiquei feliz!
Se quiser deixe seu comentário que responderei em breve! Se tiver blog saiba que logo logo lhe farei uma visitinha ♥

 
Uma leitura a mais © Todos os direitos reservados :: Design e desenvolvimento por Gabi Melo :: voltar para o topo