10 outubro, 2016

{Resenha #152} O Demonologista - Andrew Pyper


Olá, leitores, tudo bem? A resenha de hoje é um pouco diferente das demais que costumo fazer por aqui. Isso porque o livro em si é um pouco diferente dos que estou acostumada a ler. A Editora Darskide lançou há um tempinho e apaixonada pelas belas edições que sou, acabei comprando! Comecei a ler e confesso que achei um pouco parado. Não gosto muito dos diálogos sendo representados por " ". Não sei se o problema é comigo, mas me distraio fácil e me perco na leitura desse jeito, parece que não tem uma continuidade na minha leitura, como se fosse tudo texto. Enfim.... Daí dei uma abandonada e devolvi para a estante, quem sabe algum dia, né?

Porém na vibe do mês do terror, onde tá rolando Especial Darkside por aqui. E ainda mais querendo saber tudo sobre esse assunto de caça aos demônios depois que gamei no casal Ed e Lorraine Warren, voltei com tudo na leitura.

 Essa foto é de quando eu comprei....óooooooooooo...quanto tempo!

Mas o que é um Demonologista, afinal? A Demonologia é o estudo sistemático dos demônios. Quando envolve o estudo de textos bíblicos é considerada um ramo da Teologia. É um ramo de estudo, no final das contas. A pessoa é especialista em demônios, pura e simplesmente. Porém não há nada de simples nisso, quando a pessoa passa da teoria para a prática. 

"Milhões de criaturas andam na Tera
Invisíveis, tanto quando estamos acordados,
como quando dormimos"
- John Milton
Paraíso Perdido

É isso que David Ullman é. Um estudioso.  Um renomado professor da Universidade de Columbia, especialista  em Mitologia e narrativa religiosa judaico-cristã. Ele é especializado na figura do Diabo, mas apenas na literatura, como na obra-prima de John Milton, Paraíso Perdido. Porém David se declara ateu. Um ateu estudioso da Bíblia.

Passando por alguns problemas pessoais em seu casamento, ele é convidado a presenciar um fenômeno sobrenatural em Veneza. Tentado a passar umas férias em tão belo lugar ela acaba viajando com sua filha de 12 anos, Tess. Porém o que parecia ser uma viajem divertida acaba se transformando numa busca desesperada para combater o mal.


O livro é divido em três partes: Noite Eterna, O Lago em Chamas e Através do Éden. Em cada uma dessas partes a melancolia reina. A vida de David é melancólica, tediosa na verdade. Ele mesmo fala que sempre se sentiu assombrado. Talvez por um trauma de infância que ele acaba revelando ao longo da narrativa. E talvez seja por isso, não consegui me conectar com ele desde o começo. Não me prendeu, mas lá pela página 75 a história começa a mostrar a que veio e ficar um pouco mais estimulante. 

Paraíso Perdido é um poema épico do século XVII, escrito por John Milton, originalmente publicado em 1667 em dez cantos. Uma segunda edição foi publicada em 1674 em doze cantos, com pequenas revisões do autor. O poema narra a rebelião no paraíso e o ardil de Lúcifer para que Adão e Eva comessem do fruto proibido, da árvore do conhecimento.

Todo o tempo o autor faz citações e referências a essa obra épica, que nunca li e nunca estudei, só sei da sua importância e complexidade, no que diz respeito a leitura e interpretação. Talvez por isso não tenha curtido tanto O Demonologista.

  
Como eu falei a história começa a ficar aterrorizante nessa parte. Pelo menos para mim. O fenômeno que o Professor foi presenciar em Veneza não passava de um ardil. Porém ele só descobre a "verdade" tarde demais. Por acreditar que uma presença das trevas realmente existe e sabe tudo sobre ele, é que ele parte numa jornada para salvar sua filha da escuridão eterna. 

Aqui eu até esperava que a história ganhasse ares de Professor Langdon, com uma busca frenética contra o tempo e pistas se transformando em mais pistas. Mas não! Muitas vezes não entendia de onde ele estava tirando as conclusões que o estavam levando para onde ele estava indo. Não quero dar spolier, gente! Parecia tudo a esmo demais. Ele pegou o carro e foi em busca do Inonimável. Sem aquele arsenal da mala do Sam e do Dean? Sem sal! Como pode?? srsrsrs


Eu esperava uma coisa da história e o término da leitura não foi bem como eu imaginei. Talvez eu tenha criado expectativas demais, mas confesso que esperava algo mais empolgante. O livro empolga em certas partes, como eu falei....Mas foram poucas. Teve momentos em que eu achava que ia deslanchar, mas esse momento não chegou e pluft....acabou! Não sei se a história tem uma continuação, não sei mesmo... Talvez se o Professor Ullman tivesse um pouco mais de carisma e até mesmo fé, eu tivesse curtido melhor a leitura.


Minha próxima leitura será Os condenados, do mesmo autor. Será que vou gostar mais?


 As opiniões aqui descritas são as mais sinceras possíveis. Post especial em homenagem a Caveirinha!

Formada em Farmácia Hospitalar. Apaixonada por ler e escrever desde sempre. Criou o Blog em 2013 para compartilhar seu amor pelos livros, séries e filmes.

Comente com Blogger
Comente com Facebook
Comente com Google+

1 comentários:

  1. Nossa amiga que pena que você não curtiu tanto a leitura quanto esperava quando adquiriu o livro, mas já te achei uma guerreira por voltar e concluir uma leitura que não tinha te fisgado em um primeiro momento. Enfim foi ótimo saber um pouco mais do enredo do livro. Beijos e sucesso nas próximas leituras.

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir

Olá, leitor!
Se você chegou até aqui, fique sabendo que já fiquei feliz!
Se quiser deixe seu comentário que responderei em breve! Se tiver blog saiba que logo logo lhe farei uma visitinha ♥

 
Uma leitura a mais © Todos os direitos reservados :: Design e desenvolvimento por Gabi Melo :: voltar para o topo