07 outubro, 2016

Vamos falar um pouco de Poe?


Edgar Allan Poe, foi um autor, poeta, editor, crítico literário. Nasceu e morreu nos Estados Unidos. Era integrante do movimento romântico. Mais conhecido por histórias que envolvem o mistério e o macabro, ele é considerado o inventor do gênero de ficção policial. Poe foi um dos primeiros escritores americanos de contos e também recebeu mérito por sua contribuição a ficção científica.  Na prática, ele foi o primeiro escritor americano que tentou ganhar a vida através da escrita por si só, o que resultou em uma vida e carreira financeiramente difíceis.


Ele nasceu como Edgar Poe, em Boston e ficou órfão de mãe, que morreu pouco depois de seu pai abandonar a família. Poe foi acolhido por Francis Allan e o seu marido John Allan, mas nunca foi formalmente adotado. Ele frequentou a Universidade por um semestre, mas devido a vida boêmia já dá para saber o que aconteceu, né?

Fugiu de casa, se alistou no exército, como cadete em West Point. Sua carreira começou com uma publicação de uma coleção de poemas, em 1927 (Tamerlane and Other Poems). Após algum tempo mudou o foco para a prosa e passou alguns anos trabalhando para revistas e jornais. Isso fez com que se mudasse constantemente.


Em Baltimore, casou-se com prima de 13 anos de idade, Virginia Clemm. O poema The Raven foi publicado em 1845 e foi um sucesso instantâneo. No entanto a esposa faleceu de tuberculose apenas dois anos após a publicação. Durante a doença dela e mesmo após sua morte, Edgar Allan Poe aderiu ao consumo excessivo de álcool, o que lhe prejudicou em vários aspectos de sua vida, inclusive um possível novo relacionamento, com a poeta Sarah Helen Whitman.

Ele começou a planejar a criação de seu próprio jornal, The Penn (posteriormente renomeado para The Stylus), porém, em 7 de outubro de 1849, aos 40 anos, morreu antes que pudesse ser produzido. Hoje fazem 164 anos da morte do autor. A causa é desconhecida e foi por diversas vezes atribuída ao álcool, congestão cerebral, drogas, suicídio, tuberculose entre outros agentes. Ou seja, sua morte foi misteriosa e mistérios podem durar apra sempre (não fui em quem disse, foi Neil Gaiman).

As obras do autor possuem um estilo muito gótico. Seus temas mais recorrentes são a morte, decomposição e seus efeitos, interesses por pessoas enterradas vivas. Sombrio e atormentador, não?
 
 
Eu não sou uma profunda conhecedora da obra do autor, ao contrário, li pouco dele até hoje. Porém o mistério sempre cativa as nossas mentes inquietas. Inclusive até o Desafio 12 Meses de Poe, do Blog da Ana Costa eu dei uma abandonada. Eu li apenas dois contos e um deles nem comentei por aqui. Comprei dois livros, um sobre a vida do autor e outro de contos, mas não consegui encaixar nas minhas listas de leituras. Porém o ano ainda não acabou....E o melhor de tudo é que a Darkside Books não poderia deixar de ter Edgar Allan Poe dentre seus livros mais desejados para nós ávidos leitores. Em breve vai rolar a Coleção Medo Clássico, com Shelley, Lovecraft, Stoker, essa galera bonita que a maioria já conhece....

Aguardemos ansiosos as cenas dos próximos capítulos!
 
 
 

Formada em Farmácia Hospitalar. Apaixonada por ler e escrever desde sempre. Criou o Blog em 2013 para compartilhar seu amor pelos livros, séries e filmes.

Comente com Blogger
Comente com Facebook
Comente com Google+

1 comentários:

  1. Ainda não li nada do autor mas só escuto elogios a quem gosta de seu estilo. Confesso que tenho curiosidade mas como não sou muito fã dos temas que ele desenvolveu, não sei o quê é quando o lerei. Aguardo mais da sua opinião. Beijos

    Sobre os futuros lançamentos clássicos do terror da editora, tenho interesse. Já li Stoker e adorei.
    Beijos

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir

Olá, leitor!
Se você chegou até aqui, fique sabendo que já fiquei feliz!
Se quiser deixe seu comentário que responderei em breve! Se tiver blog saiba que logo logo lhe farei uma visitinha ♥

 
Uma leitura a mais © Todos os direitos reservados :: Design e desenvolvimento por Gabi Melo :: voltar para o topo