31 maio, 2017

O que eu achei das Crônicas de Amor e Ódio (pode conter spoilers)


Fim da jornada. A promessa. A esperança.
Conte-me de novo, Ama. Sobre a luz.
Busco em minhas memórias. Um sonho.
Uma história. Uma lembrança indistinta.
     Eu era menor do que você, criança.
O limite entre a verdade e a sobrevivência fortalece.
A necessidade. A esperança. Minha própria vó
contando-me historias, porque não havia mais
nada além disso. Olho para a criança fraca,
de estômago sempre vazio, mesmo em seus sonhos.
Esperançosa. À espera. Puxo seus braços finos e coloco
seu corpo leve como uma pluma em meu colo.
     Era uma vez, minha criança, uma princesa
     que não era maior que você. Ela
     tinha o mundo ao alcance de seus dedos.
     Ela ordenava, e a luz obedecia. O sol,
     a lua e as estrelas ajoelhavam-se e erguiam-
     se ao seu toque. Era uma vez...
Foi-se. Agora há apenas esta criança de olhos dourados
em meus braços. É o que importa. Assim como o fim
da jornada. A promessa. A esperança
     Venha, minha criança. Está na hora de partir.
Antes que venham os abutres. As coisas que duram.
As coisas que permanecem. As coisas que
não me atrevo a dizer a ela.
     Contarei mais a você enquanto caminhamos.
     Sobre outrora.
     Era uma vez...

 

                                           - Os últimos testemunhos de Gaudrel
 

O livro 1 (The Kiss of Deception) começa de uma forma arrebatadora, na minha humilde opinião. Como um livro antigo, uma verdadeira crônica. Alguém contando uma história. E que maravilhosas histórias não começaram com Era uma vez.....?

A primeira frase que lemos no livro, que por acaso é de sua protagonista, também é impactante!

Aquele era o dia em que mil sonhos morreriam e um único sonho nasceria.

Na verdade não nos damos conta (eu pelo menos não me dei conta) de como ela é importante até chegarmos no final. Ah, como me lembrei dessa frase no final ♥

Nas primeiras páginas somos apresentados a Arabella Celestine Idris Jezelia, Primeira Filha da Casa de Morrighan, uma princesa de um reino distante. Parece um nome muito solene e pomposo para uma garota de 17 anos, não é? Mas ela parece ora amargurada, ora revoltada, ora decidida...Porque ela não pode decidir seu destino, quando outras pessoas iguais a ela podiam?? Segundo sua mãe, "era o seu destino e o seu dever".

Eu não sou um soldado no exército de me pai.

Outra frase de efeito para uma princesa que não concorda com um casamento arranjado, um casamento com um homem que ela nunca viu, mesmo que esse homem fosse um príncipe. Isso aconteceu com sua mãe, que era uma Primeira Filha, mas ela queria mudar isso....e foi o que fez!



Mais adiante na história (na página 44) parece que temos uma espécie de profecia...

Há apenas uma história verdadeira
E um futuro verdadeiro.
Escutem bem, pois a criança nascida da miséria
Será aquela que trará esperança.
Do mais fraco virá a força
Dos perseguidos, a liberdade.
- Canção de Venda

Mais adiante tem outra....


Dos quadris de Morrigham,
Da extremidade mais afastada da desolação,
Dos esquemas de regentes,
Dos temores de uma rainha,
Nascerá a esperança.

- Canção de Venda 

Pelo menos para mim, durante a leitura, me pareceram profecias, como em velhas histórias medievais, com reis e rainhas e com magos da corte, com traições, guerras...
The Kiss of Deception é permeado com esses pequenos textos, ora remetendo a Venda ora a Gaudrel ...ora a Morrighan e ficamos nos perguntando (eu fiquei pelo menos) o que eles tem em comum e quais são os mistérios que a jornada de Lia nos reserva?


Eu gostei muito do livro, tanto que fiz um post de primeiras impressões sobre o avanço da história. Depois acabei tendo uma leitura meio morna, tanto pelo próprio desenrolar da história quanto pelas minhas próprias teorias conspiratórias e expectativas ehehehehe....Como o livro foi super badalado, tanto pelos leitores que já conheciam a obra em inglês, quanto pela editora...nossa....minhas expectativas eram altas! Sempre pensei que ao fugir do casamento Lia poderia estar começando uma guerra entre os reinos....mas não sei se mais alguém pensou isso também...

Entre altos e baixos (quente e frio) o livro termina de uma forma impactante, não tanto quando o livro 2 e menos ainda do que o livro 3, mas mesmo assim foi um impulso para querer saber o que aconteceria no segundo volume das crônicas.


O Livro 2 (The Heart of Betrayal) é o mais sombrio de todos, na minha opinião. Muitas coisas são reveladas, mas mais perguntas pairam no ar......E praticamente toda a "ação" ocorre em Venda. Um lugar que para ela, sempre foi tido como bárbaro, não lhe parece mais tão bárbaro assim, apesar de tudo...O Komizar é uma figura estranha, um mal que cresce, cresce e parece que nunca será parado....

Para mim umas das partes mais emocionantes ocorre quando Lia está traduzindo os trechos do livro roubado e descobre que Gaudrel e Venda são na verdade irmãs!


Ela está além da muralha. Está morta para nós agora.
Minha irmã Venda é um deles agora.

E claro que Lia "usa" isso a seu favor....embora nem tudo saia como o esperado...


Conte uma história a eles, Jezelia.


Embora a espera possa ser longa,
A promessa é grande
Para aquela chamada Jezelia, 
Cuja vida será sacrificada
Pela esperança de salvar a sua.
- Canção de Venda


O livro 3 (The Beauty of Darkness) fecha com chave de ouro a trilogia, dentro do contexto que a autora se propôs a escrever (minha opinião). 

Muito se falou do empoderamento feminino nesses livros e é verdade, as meninas tem um girl power impressionante! Claro que a protagonista é a Lia, mas a Pauline é uma coadjuvante fora de série e melhor, amiga para todas as horas!!! Eu gostei até da Calantha ahahahahaha



Durante toda a trama vemos além da jornada de Lia, rumo ao que quer que seja, a jornada de Rafe também....Ele, o príncipe rejeitado, também era um "peão" naquele jogo...ninguém comenta, mas ele também estava indo para um casamento arranjado com uma pessoa que ele nunca nem viu....Tudo bem, ele é homem, vão dizer alguns....Mas como filhos de um reino, entendo que eles tem obrigações específicas, por terem nascido com privilégios (parafraseando a mãe do príncipe Para sempre Cinderela - amo esse filme). Mas pelo que vemos ele estava disposto a "tentar". E apesar de tudo, ele se arrepende de não ter "cedido" a vontade da Princesa de ter sido "inspecionado antes do casamento". Talvez toda aquela confusão pudesse ter sido evitada....

  
É o meu trabalho, obviamente, manter o herdeiro fora de perigo. Em vez de fazer isso, eu praticamente o escoltei em direção ao perigo.

Gosto muito do personagem do Rafe, acho que não tinha falado isso antes. Ele vai em busca de seu "tesouro" e o protege por toda a jornada, mesmo parecendo que não...Fato: ele protege Lia em TODOS os momentos! Um verdadeiro mocinho, que faz a gente se apaixonar por ele, mesmo sem querer....


Uma parte que gosto muito e que não falei nas resenhas dos livros é o momento em que Lia pergunta para Rafe porque ele não poderia ter ido ao reino dela para garantir a aliança, que ela tinha coisas tão importantes como princesa, quanto ele como príncipe....Concordo!!!! Porque sempre é a moça que tem que desistir de tudo - ela pergunta....Concordo de novo! Mas uma coisa que ela não pensou é que o irmão dela, Walther, que seria o futuro rei, ou outros irmãos....Ela iria depor o irmão??? - enfim.....

Só questiono essa parte pois realmente, porque um homem não pode adotar a terra natal da esposa?? Porque o homem será o regente de seu reino um dia e sendo a mulher apenas descendente e não herdeira do trono, como ela vai fazer??

As questões apenas são jogadas na mesa, não há um desfecho, pois logo eles desviam do assunto e começar a falar de Walther e da morte do Komizar. Mas é um caso a se pensar.....Não concordo com o todo, mas por enquanto é assim. Ele era o único herdeiro, ela não. (página 60)


Nenhum reino ficará entre nós. Jamais. 



Era o medo do desconhecido. Medo da impostura e do dom que pensava não ter. Estava com medo de todas as escolhas pedidas que eu nunca seria capaz de fazer. ....Acima de tudo, tinha medo de que nunca fosse se amada além do que um pedaço de papel havia ordenado que eu fosse. 



Enfim...eu pelo menos, poderia falar de Rafe por mais e mais posts, mas por enquanto basta....


Por fim, no todo a história te prende verdadeiramente por várias coisas, o tom de reinos e magia antiga, a lutas, os amores verdadeiros e as traições e mentiras, as profecias de um mundo melhor...ou não....

E para quem se perguntou porque eu falei das maravilhosas frases (de efeito, isso sim), deixo aqui o final que amei ♥


Fim da jornada. A promessa. A esperança.

Reúnam-se, cheguem perto, meus irmãos e minhas irmãs.

Hoje é o dia em que mil sonhos vão nascer.
- A canção de Jezelia



Espero que tenham gostado do post, ele foi feito com muito ♥





















Formada em Farmácia Hospitalar. Apaixonada por ler e escrever desde sempre. Criou o Blog em 2013 para compartilhar seu amor pelos livros, séries e filmes.

Comente com Blogger
Comente com Facebook
Comente com Google+

1 comentários:

Olá, leitor!
Se você chegou até aqui, fique sabendo que já fiquei feliz!
Se quiser deixe seu comentário que responderei em breve! Se tiver blog saiba que logo logo lhe farei uma visitinha ♥

 
Uma leitura a mais © Todos os direitos reservados :: Design e desenvolvimento por Gabi Melo :: voltar para o topo