Entrevista com a autora Chirlei Wandekoken - Pedrazul



Olá, pessoal, como vão? O que a gente mais ama do que saber mais um pouquinho daquele autor ou autora preferido, né?

Como sabem o blog é parceiro da Editora Pedrazul, lá do Espírito santo, uma editora meio que especializada nos clássicos. A Chirlei Wandekoken é a editora chefe e além disso é também autora, com livros físicos e e-books. É dela A Estrangeira (resenha aqui), que é o primeiro livro do Quarteto do Norte, além de Quando os céus conspiram, Comprada por um lorde e muito mais...Todos romances, daqueles que a gente ama!!!!!


E eis que ela deu uma mini entrevisa aqui para o Uma Leitura a Mais, falando sobre seus livros e sobre as novidades da editora, boa conferir? 

O que a série do Quarteto do Norte nos reserva? Mais cenas hot ou mais romance entre os personagens? Como eu só li 2 livros até agora estou louca para saber...

{Chirlei} Em A Estrangeira, por ser um romance histórico, eu trabalhei mais o romantismo com contexto histórico, embora tenha também algumas cenas em que o sexo, misturado ao romance, vem à tona. Nos demais, que eu considero apenas um desfecho dos personagens secundários de A Estrangeira, eu não me preocupei com contextualização histórica, embora ainda tenha alguma coisa de história, eu explorei mais as cenas mais quentes.

Pausa minha: que a gente acaba curtindo e suspirando, né?



Qual foi a sua expectativa para A estrangeira? Ele tem muito, mas muito de histórico, diferente dos outros do quarteto .....deve ter dado um trabalhão a pesquisa prévia, deu mesmo? 

A Estrangeira foi um romance que eu levei muitos anos pesquisando. Comecei escrevê-lo em 2008, conclui em 2013 para 2014, não me recordo mais. Depois o deixei de molho à espera de uma oportunidade. Antes era um romance que tinha outro título, completamente diferente de A Estrangeira. Era A Nascente do Lago Musgo. Mas alterei tanto o livro que, se quisesse, podia lançar a primeira versão, pois seria um livro diferente. Sobre expectativa: eu não tinha nenhuma expectativa. Escrevo porque me relaxa, porque me faz bem, porque não consigo não fazê-lo. Minha mente é inquieta, costumo sonhar escrevendo capítulos inteiros e, muitas vezes, no outro dia, transcrevo aquilo que minha mente criou de madrugada, período em que sou mais criativa. Mas é bom saber que as pessoas gostaram dele, pois livro é como filho, e toda mãe aprecia que gostem dos seus filhos.

É muito complicado ser “mãe” de tantos personagens (são muitos lordes e ladies em todos os livros...Como você visualiza a personalidade de cada um?

Sempre que eu escrevo um livro tenho em mente um mote inicial, uma ideia principal, e apenas uma leve ideia do que virá pela frente. Às vezes nem isso. É raro um livro que eu tivesse início, meio e fim, até porque os personagens são vivos, basta dar a eles nomes que eles conduzem seus destinos. Sobre as personalidades: uma preocupação que eu tenho são os nomes, pesquiso seus significados, pois, se escolho um nome doce, a personalidade do personagem seguirá essa linha; se escolho um nome arrojado, da mesma forma. Costumo fazer briefing separado com o nome, aparência e as características dos personagens, pois, como meus livros têm cerca de 50 personagens, lá pela página 200, se eu não tiver anotado, posso me confundir. Voltando à sua pergunta: eu me recordo de cada personagem que criei. Deus! Como eu adoro o Eduardo e a Ana Solevade, de Por Trás da Escuridão. O conde de Hotspur, de A Estrangeira; Celestine e Joss Horsfield, de Sob Os Acordes dos Anjos. Como eu amei criar a Celestine! Creio que ela foi minha realização profissional, pois ela foge do clichê, faz todo tipo de loucura, pois viveu num hospício a maior parte de sua vida e é muito mais velha que Joss. Tenho um enorme carinho também por lorde Robert e por Leanah, de Fronteira da Paz. Admiro demais a Leonora e o duque de Pudhoe, de A Ama Inglesa. Na verdade, eu adoro todos eles.

Esse eu ainda não li....

O que espera de 2018? Para seus livros e para a Pedrazul? Mais lançamentos virão?? 

Meu projeto para 2018 é lançar três livros. Um deles já está concluído, título provisório é Flores Sob o Aço. São quatro casais, um tipo de retorno de O Quarteto, mas num só livro, porém, mais robusto, em torno de 300 páginas. Trata-se de um livro contemporâneo, mas uma personagem escreve um romance de época, e este romance também está retratado no livro. É bem louco, mas eu gostei do resultado. Tem início nos USA e Canadá, vai para Inglaterra, e termina no Brasil. O outro, que eu estou escrevendo no momento, é sobre um personagem que eu citei em Comprada por Um Lorde, o lorde Roger Montgomery, de Arundel Castle, e Saphira, da Grécia. Trata-se de um romance que tem início em 1812, quando lorde Montgomery rapta Saphira e a leva para a Inglaterra. Está me dando mais trabalho, pois estou tendo que estudar bastante a cultura grega. O terceiro eu tenho uma ideia apenas: quero escrever um livro contemporâneo sobre uma mulher que vai se empregar na casa de um homem por quem ela está apaixonada, e vai conquistá-lo, primeiro, com as comidas que ela cozinhará para ele. Na verdade, eu estou numa dúvida cruel e até pensei em fazer uma enquete. Eu não sei se dou à série independente o nome de Série Sentimentos, com os livros: Força & Ternura; Arrogância & Inocência e Poder & Paixão. Ou, Série Elementos, com os títulos: Flores Sob o Aço (ou Pétalas Sob o Aço); Água das Paixões e Fogo do Amor. O que acha? Ajude-me, please. Brincadeira, não precisa publicar isso. Sobre os lançamentos da Pedrazul, depois de Anne da Ilha, é possível que lancemos Amor e Orgulho, de Georges Ohnet, depois vem Demelza. Estes já estão programados.

Anne da Ilha está em pré-venda

Qual dos seus personagens masculinos você se casaria?? Eu confesso que dos que eu li eu fiquei bem indecisa ahahahahaha 

Eduardo, de Por Trás da Escuridão. Ou Mitchell Hugles, de Flores Sob o Aço (este não foi lançado). Eu também me casaria com o conde Hotspur. Dá para ser com os três?

Nãoooooooo....um só ....hahahah....Gosto do Conde também....srsrsrsrs

E as personagens femininas?? Quem você acha que é a melhor mocinha?

Leonora é muito forte, gosto dela. Celestine eu adoro pela sua autenticidade. Mas a mais pura é Rosamund McNamara, de Flores Sob o Aço (estou te instigando, né?).

Então a autora fica falando de um livro que ela ainda vai publicar, que não em nem prévia da capa....é para deixar as pessoas loucas, né?

Quais as autoras mais lidas por você? 

Eu leio tudo que a Pedrazul lança. Portanto, sou fã de todos eles. Além do que eu lancei como editora, uma autora que eu admiro demais é George Eliot, pseudônimo de Mary Ann Evans. Rosamunde Pilcher eu também já li tudo dela. Dessas de época, Judith Mcnaught é imbatível. Mas eu sou bem eclética, leio quase tudo.

Você tem uma rotina de escrita? Tipo, vou tomar café e escrever por duas horas.....Ou só escreve quando a inspiração “vem”?

Escrevo todos os fins de semana e feriados, pois durante a semana me dedico à Pedrazul somente. Levanto, tomo café e escrevo o dia todo. Só paro para comer. Escrevo até altas horas da noite.

Gosta de terror? Quero muito saber essa resposta ahahahahahaha...Não sei se quem gosta de romance gosta de terror, eu como leio de tudo fico sempre querendo saber se é assim com as outras pessoas kkkkkk 

Não gosto hehehhehe. O único livro da Pedrazul que não curto é O Monge. Ele não foi sugestão minha, mas de meu filho, que é diretor da editora.


Chirlei, EU AMEI!!! Muio obrigada por ceder um tempinho para falar de livros e das novidades da Pedrazul para 2018, vai ser um ano LINDO!

Espero que tenham curtido!


Nenhum comentário

Olá, leitor!
Se você chegou até aqui, fique sabendo que já fiquei feliz!
Se quiser deixe seu comentário que responderei em breve! Se tiver blog saiba que logo logo lhe farei uma visitinha ♥