07 maio, 2018

{Resenha #239} Rastro de sangue - Jack, o Estripador #Darklove


Essa resenha promete!!!!! AHAHAHAHAHAAH......Por vários motivos, primeiro porque essa história é inspirada na intrigante história de Jack, O Estripador, um dos maiores serial killers da Londres Vitoriana. Segundo porque a determinação da jovem mocinha Audrey Rose foi comparada com a da Lia, de As Crônicas de Amor e Ódio. Então já viu, né??



Se você chegou por aqui agora, permita-me lhe apresentar a DARKLOVE, a linha mais amorzinho da Darkside Books .....Mas na minha opinião, não nesse caso, né? Pessoas estripadas não tem nada de amorzinho.....Mas...A ideia de "amor" é outra. Nessa linha somente vemos livros escritos por mulheres e mulheres cheias de ATITUDE, com heroínas idem!!!!!!

A autora Kerri Maniscalco foi descoberta pelo danado do autor best-seller James Patterson. É o seu selo para jovens leitores. A Darkside resolveu trazer em primeira mão esse livro para o Brasil. É o primeiro volume de uma série que já prevê inspiração em outros personagens clássicos da era vitoriana, como o príncipe Drácula e o escapista Harry Houdini. É também o romance de estreia da autora e já vem conquistando o coração dos leitores em todo o mundo.

Adoro esses mapas!

Mas vamos falar de Audrey Rose? 


Ela não é a típica donzela inglesa do século XIX. Daquela que pensa em chás, vestidos e em arrumar bons partidos para casar. Não. Quando ninguém está vendo, a jovem realiza autópsias no laboratório de seu tio, contrariando a vontade de seu pai e todas as expectativas da sociedade. Ela pode não saber fazer um penteado elaborado, mas faz uma incisão em Y num cadáver como ninguém.

Na verdade, a mocinha "estuda" Medicina Forense com seu tio (escondida é claro), que realiza trabalhos para a Scotland Yard, a Polícia de Londres. Eles estão investigando uma trilha de sangue e corpos de mulheres estripadas, que os levam ao misterioso Jack, cujos assassinatos brutais derivados de uma terrível sede de sangue amedrontam a cidade. Na companhia de Thomas Cresswell, o aprendiz convencido e irritante de seu tio, ela decide seguir seus instintos e os rastros de sangue do notório assassino. Afinal, nenhum homem foi capaz de descobrir sua identidade. Esse é um trabalho para uma mulher.


Audrey Rose vive em conflito na verdade. Ela é uma pessoa, mas a sociedade quer que ela seja outra e a rotula pelo seu sexo. Por ser mulher ela já é por si só considerada inferior (algumas cenas bem mostram isso descaradamente). Por se interessar por práticas forenses ela é considerada indigna pelos seus pares. E como naquela época reputação era tudo, seu pai teme pela reputação de sua jovem filha.

A jovem dama demonstrou sua posição, doutor. Deste momento em diante, farei de conta que ela é tão capaz quanto um homem.

Na minha singela opinião, Audrey Rose quer se aventurar no desconhecido, saber mais da vida e da morte, mas é miseravelmente podada por seu pai, um viúvo que mergulhou na sua própria depressão após a morte da esposa e mal liga para os dois filhos. Audrey Rose tem um irmão chamado Nathaniel, que ora parece que a incentiva, ora se mete na vida dela.

Conforme as investigações avançam (e as mortes também), Audrey Rose quer dar voz aquelas mulheres, quer fazer justiça às vítimas, já que são mulheres sem voz e marginalizadas por uma sociedade extremamente sexista (todas as vítimas são prostitutas).


A edição em capa dura da Darkside é belíssima, de um tom de verde bem escandaloso que curto muito pois adoro verde. Tem as ilustrações por dentro, que a meu ver, enriquecem muito o conteúdo. E claro, a autora prima pela boa descrição das práticas forenses, uso do bisturi, tentar tirar o máximo de informações da cena do crime, essas coisas....Claro, se utilizando do que se dispunha na época, né? (as práticas forenses não eram tão precisas em 1888).

Tem umas descrições bem detalhadas dos trabalhos de Audrey Rose, Thomas e seu tio nas autópsias. Se você não curte, é melhor nem ler. Mas se curte, é bem irado esses detalhes todos.


Eu não curto as aspas das edições da editora, isso me atrasa na leitura....mas no final das contas acho até que já me acostumei....Só não sei porque eles não usam os travessões nos diálogos igual a todo mundo....mas enfim.....


Não achei nada de tão impactante nessa história. Para mim foi uma boa história policial com um toque de "romance de época". Para quem gosta de história de época, com esse toque meio dark e sombrio, principalmente nessa ambientação da Londres na Era Vitoriana, o livro é bem convidativo, mas se a pessoa não gosta ela pode se entediar. Eu mesma dei uma entediada em alguns momentos....Audrey Rose me pareceu meio indecisa e/ou em dúvida as vezes...Não vi muito da Lia nela não, ahahahahaha, mas essa é só minha opinião. Ela cresce é claro, já que é apenas uma jovem mocinha de 17 para 18 anos. Ou seja, sua sede de aventura está a flor da pele. Uma gaiola dourada ainda é uma gaiola!

E claro, tem as partes "românticas" dela com Thomas. Gostei dele em vários momentos, mas achei as coisas um pouco engessadas, sabem? Mas de repente é só diferente do que eu consumo de fato ler...Mas nada que me desgostasse da leitura como um todo. Thomas é extremamente inteligente e irritante por saber disso. Ela fica muito grudada nele sem um acompanhante, isso por si só já arruinaria sua reputação de boa moça, mais até do que dissecar cadáveres..... 

Eu comprei meu livro na Amazon, numa promoção maluca aí, tipo compre 4 e um sai de graça - nada é de graça nessa vida - mas eu achei um preço bom. Um dos livros nem chegou ainda...


Como eu falei lá no começo, no site da Darkside informa que é o primeiro volume de uma série que já prevê inspiração em outros personagens clássicos da era vitoriana, como o príncipe Drácula e o escapista Harry Houdini. As capas estão ão lindas quanto, e pelo visto vão manter a mesma linha na capas! Eu só espero que seja publicado logo!!!!!!


E aí, me digam se leriam??

Formada em Farmácia Hospitalar. Apaixonada por ler e escrever desde sempre. Criou o Blog em 2013 para compartilhar seu amor pelos livros, séries e filmes.

Comente com Blogger
Comente com Facebook
Comente com Google+

1 comentários:

  1. Oiii Renata

    Tb comprei o meu em alguma promo maluca da Amazon, acho que foi dia consumidor talvez? Só sei que foi um preço razoável. Infezlimente ainda nem deu tempo de conferir, mas espero porque curto histórias policias + era vitoriana + um leve to que de romance, acho que posso gostar apesar de ter sido um pouco entediante pra ti em alguns momentos.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir

Olá, leitor!
Se você chegou até aqui, fique sabendo que já fiquei feliz!
Se quiser deixe seu comentário que responderei em breve! Se tiver blog saiba que logo logo lhe farei uma visitinha ♥

 
Uma leitura a mais © Todos os direitos reservados :: Design e desenvolvimento por Gabi Melo :: voltar para o topo