{Resenha #242} JURASSIC PARK, de Michael Crichton


O que mais eu posso falar de Jurassic Park?? Se você viu o filme de 1993, que QUEBROU TODOS OS RECORDES de bilheteria até então .....você PRECISA LER esse livro! Estou falando muito sério!



Ele é tão bom que nem está aqui comigo, emprestei para que mais gente possa ler essa gracinha. Digo gracinha, pois é uma história simples, mas cheia de significado, quem mais acha levanta a mão!!!!!!

Uma impressionante técnica de recuperação e clonagem de DNA de seres pré-históricos foi descoberta. Finalmente, uma das maiores fantasias da mente humana, algo que parecia impossível, tornou-se realidade. Agora, criaturas extintas há eras podem ser vistas de perto, para o fascínio e o encantamento do público. Até que algo sai do controle. Isso nós já sabemos, não é?? Mas LER sobre isso foi FASCINANTE!



Em “Jurassic Park”, escrito em 1990 por Michael Crichton, questões de bioética e a teoria do caos funcionam como pano de fundo para uma trama de aventura e luta pela sobrevivência. E bota aventura nisso! Quem não queria ver um dinossauro? De verdade? E não um monte de ossos montados num Museu de História Natural...E é aí que as coisas começam a fugir do controle.

Hammond é um homem muito rico, mas a sua ideia de fazer algo realmente grandioso acaba cegando tanto ele quanto os demais cientistas que encabeçam o projeto. Wu é um deles. No filme eu cheguei a gostar muito dele, muito mesmo...Mas no livro nem tanto...Eles acham que tem o controle. Mas como controlar animais extintos há milhões de anos? Como saber de seus hábitos verdadeiros e não apenas através do que se sabe dos fósseis?


Ian Malcolm (meu personagem preferido - amo os personagens ranzinzas ahahahaha) é o primeiro que sugere uma falha no método de análise das populações dos dinossauros. Todo mundo está bem pessimista com relação a ilha, mas Malcolm, tendo sido consultado antes da criação do parque, é enfático em sua previsão de que tudo vai entrar em colapso, pois é uma estrutura simplesmente insustentável, forçada em cima de um sistema complexo. Na verdade, ele e suas teorias do caos são responsáveis por grande parte de todo o pensamento filosófico do livro!


Bom, a história do livro é igual. Hammond convoca alguns convidados para um tour de apresentação da ilha, já que seus investidores estão pegando no seu pé. Tudo é um grande segredo e aparentemente alguns incidentes escaparam de seu controle (pequenos, mas cheios de significado). Dentre essas pessoas estão o advogado, Ian, Grant e Sattler, um paleontólogo e uma paleobotânica. Não satisfeito, Hammond ainda convoca seus netos, crianças (aqui Tim é um pouco mais velho que Lex, no filme é ao contrário). Grant quer saber mais do tipo de DNA que usaram para sanar as falhas no código genético tão velho dos dinos.

Existem ouros personagens também, Nedry, o gordo safado que faz quase a merda toda acontecer ahahahahahaha....simplesmente porque o olho foi grande de e ele queria vender os embriões para uma empresa rival. Mas ele se ferra taaaaaão feio, mas tão feio que no filme foi até bonitinho......Tem o Arnold também, uns dos controladores do parque. Enfim....tem bem mais gente tentando resolver a cagada sem que mais gente morra.



Enfim....não tem muito o que eu ficar falando dessa história que praticamente já fala por si só...tanto é que teve outras continuações, embora o autor tenha parado em O mundo perdido (que ainda não li). Mas a ideia central de tudo isso ainda está lá!

Minha participante especial ahahahahaha

E finalizo esse post com uma frase do Ian Malcolm, que pode ser vista no trailer do novo Jurassic World: Reino Ameaçado:

A vida não pode ser controlada
A vida se liberta
A vida encontra um meio

Fica a reflexão!

Obs: por acaso esse livro também é da Editora Aleph💙

Nenhum comentário

Olá, leitor!
Se você chegou até aqui, fique sabendo que já fiquei feliz!
Se quiser deixe seu comentário que responderei em breve! Se tiver blog saiba que logo logo lhe farei uma visitinha ♥