28 maio, 2018

[Resenha]: Oito — de Décio Gomes

Que sou fã do autor Décio Gomes isso não é novidade. o/ A propósito, já li os três livros da série IN NOMINE PATRIS e afirmo que foi a partir dessas leituras que me tornei fã. E assim que vi essa antologia disponível para download gratuito, não hesitei em baixá-la. Agora convido a todos para conferir o que eu achei de "OITO", uma antologia com oito contos, uma publicação independente. 


Sinopse: Entre o terreno e o etéreo existem muitos mistérios. Entre o céu e o inferno existem inúmeras portas. Entre a vida e a morte, também, existem inúmeras conexões. E o número oito está ligado a cada uma delas. Seja um equilíbrio cósmico, seja um círculo ou um quadrado, seja este mundo ou o intermediário: tudo está representado dentro de um oito, que de pé indica quantidade, e que deitado incorpora o infinito. Oito histórias. Oito sentimentos. Oito formas de se dizer o que está por dentro. Oito olhares. Oito cores: oito forma de falar de dores e amores. 


"Porque para cada conto há de se ter uma grande história...' 

Uma antologia maravilhosa! 💘💘💘

Por tratar-se de uma antologia, cada conto leva sua dosagem de particularidade: uns dramáticos, outros românticos e, claro, como marca registrada do autor, há também aqueles com sua  pitada de terror. Abaixo deixarei três quotes de contos que amei (se bem que gostei de todos). rs


"Nara não sabia — e talvez nunca viesse a saber —, mas o que o filhote de pelos amarelos queria mesmo dizer, com o primeiro miado de sua vida, era a palavra que completava o chamado daquela que havia dado-lhe um lar não apenas naquela vida, mas também na anterior. Ele queria dizer... “Polo”. Ele queria dizer... “mãe”." (Antologia: Oito, Conto: Marco Polo) 
"A faca de caça foi mais uma vez retirada da cintura, e o colecionador de máscaras estava finalmente pronto. Começaria ali, naquele exato minuto, o maior massacre de assassinatos em massa que o mundo chegaria a conhecer." (Antologia: Oito, Conto: O Colecionador de Máscaras) 
"Mancando e ainda com a mente a girar, Jullian foi levado pelo centro da capela. Ao chegar à entrada, antes de deixar a pequenina capela em construção, não teve a certeza de ter ouvido certo ou de apenas ter sofrido um devaneio, mas conseguiu escutar, ao pé de seu ouvido, um sussurro gelado e suave formado por um coro de vozes combinadas: “Liberdade…” (Antologia: Oito, Conto: As Almas dos Enforcados)





Excelentemente escritos e pra lá de instigantes, a cada virar de página eu me sentia mais envolvida e ansiando por mais.

OITO é uma coletânea de contos que retrata de tudo um pouco, cada qual com sua característica. As histórias começam diminutas e conforme a leitura foi fluindo, envolveu-me de forma que me fez desejar um livro para cada conto. Pois bem, o autor tem dessas, pois sabe como ninguém contar histórias que prende o leitor... E com OITO não seria diferente!!! Para quem curte uma leitura rápida e pra lá de instigante, eu mega indico essa antologia. o/

O livro tem contos narrado em primeira e terceira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão; a diagramação está excelente, em formato padrão digital; e a capa é belíssima, mostrando um pouco de cada conto. 


Antologia: Oito
Autor: Décio Gomes
Publicação  Independente
Ano: 2017
Páginas: 180

Abraços literários,
Simone Pesci
https://simonepesci.blogspot.com.br/

Formada em Farmácia Hospitalar. Apaixonada por ler e escrever desde sempre. Criou o Blog em 2013 para compartilhar seu amor pelos livros, séries e filmes.

Comente com Blogger
Comente com Facebook
Comente com Google+

2 comentários:

  1. Eu não sou muio fã de contos, mas amei essa capa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Reeeee... Os contos são maravilhosos! E você tem razão, a capa é belíssima!!!

      Beijosssss

      Excluir

Olá, leitor!
Se você chegou até aqui, fique sabendo que já fiquei feliz!
Se quiser deixe seu comentário que responderei em breve! Se tiver blog saiba que logo logo lhe farei uma visitinha ♥

 
Uma leitura a mais © Todos os direitos reservados :: Design e desenvolvimento por Gabi Melo :: voltar para o topo