[Resenha]: Duas Vidas, Encontro — de B. Pellizzer

Sabe aquele autor(a) que você é louco(a) para conferir um de seus textos?! Pois bem, B. Pellizzer faz parte da minha seleção de autores que, por fim, queria muito conhecer. E já adianto que foi uma grata surpresa e que, claro, quero ler outros textos dela. o/ Agora convido a todos para conferir a sinopse e o que eu achei de "DUAS VIDAS, ENCONTRO", o primeiro de uma série, uma publicação da editora Raredes em parceria com a Drago Editorial. Vem junto! o/


Sinopse: Quando Isabel e Rogério se conheceram, foi amor ao segundo beijo (o primeiro beijo dos dois foi um fiasco). Como nem só de beijos e encantos sobrevive um grande amor, os dois se perderam um do outro e, quando se reencontraram, Isabel estava namorado Rodrigo, o irmão de Rogério. Isabel é independente, despachada, não sabe se acredita em Deus e tem uma boca muito suja. O tipo de mulher que Rogério sempre desprezou; Rogério é o típico bom-moço, evangélico, de família, e até um tanto machista. O tipo de homem que Isabel nunca respeitou. Mesmo com tantas diferenças, a cada passo que davam na direção contrária do outro, as forças invisíveis do destino os empurrava de volta. 
"Porque a distância entre dois amores, é apenas um espaço no tempo..." 

Uma grata surpresa!

Isabel Ferrara tem vinte anos e terminara seu noivado com Carlos, três dias antes de seu casamento. A fim de desfrutar de sua liberdade, resolve ir a uma danceteria com suas amigas; Rogério Figalho tem vinte anos, policial rodoviário, criado numa família evangélica, noivo de Larissa. Exausto com sua relação insossa, dá uma escapadela e vai se divertir na mesma danceteria que Isabel está.

Na beira da pista, enquanto observava Isabel dançar, Rogério não pensava na conversa que o tinha levado até ali. Havia algo hipnótico nos movimentos da moça. Algo que o obrigava a olhar. Ela não estava se exibindo. Parecia que nem estava ali, que só estava curtindo a música, mas, por Deus, como era sexy. (Livro: Duas Vidas, Encontro  de B. Pellizzer) 



Os dois ficam juntos mas, ao final da noite, ambos se apresentam com nomes diferentes e Isabel, o número de telefone errado. Desta forma, sem ter como se comunicar, mesmo atraídos um pelo outro, acabam findando o que ainda nem havia começado.

Pensou nele por um instante muito breve, entretanto, e tão logo se lembrou de com quem estava, retribuiu o beijo com tanta intensidade quanto possível. Quando suas bocas se separaram, ela olhou bem nos olhos do namorado e sussurrou seu nome para que tivesse certeza de que era nele que ela estava pensando. (Livro: Duas Vidas, Encontro — de B. Pellizzer) 

Como numa brincadeira do destino, Isabel conhece Rodrigo (irmão mais velho de Rogério). Sem saber que o moço é irmão daquele que lhe tirou a paz, tendo ambos muito em comum, entram em um acordo e  digamos assim   num relacionamento aberto.

— Tô te dizendo que ela invadiu minha vida e penetrou na minha pele, assim como fez com você. Tô dizendo que Ana Lívia e Isabel são a mesma pessoa. (Livro: Duas Vidas, Encontro — de B. Pellizzer) 

Rodrigo acaba por contar tudo a Rogério e Isabel: ela tira de letra, mesmo ainda pensando em Rogério; ele sente-se traído e furioso, porém fica na dele, deixando com que o irmão e sua paixão, Isabel, prossigam com o namoro. Agora cesso os comentários para não soltar mais spoilers.

Trata-se de um triângulo amoroso, e como tal, somos conduzidos as dúvidas e escolhas que rodeia quem vive tal infortúnio.

DUAS VIDAS, ENCONTRO é uma conturbada história de amor, onde os opostos se atraem e os dispostos se distraem. Eu me vi imersa nesse triângulo, mas confesso que, muitas vezes, ele me tirou do sério. Isabel me fez ir do céu ao inferno com seu jeito despojado de ser: eu a amei e a odiei, pois suas dúvidas, em com quem deveria ficar, me deu nos nervos. Dentre hesitação e asserção somos conduzidos a um romance improvável. Mas quem disse que o improvável não pode tornar-se provável?! Essa é a cereja do bolo do enredo, e tal como os protagonistas temos os personagens secundários, cada qual com sua característica e dosagem exata, que só agregou na trama. Eu, particularmente, fiquei apaixonada por Franklin, amigo e confidente de Isabel. Rogério, Rodrigo e Cláudia também ganharam o meu coração. Eu queria falar mais, mas se eu fizer isso soltarei spoilers. A escrita da autora é deliciosa de se aventurar (eu só diminuiria bastante o número de páginas da trama); os personagens são do tipo que grudam na pele; e o enredo perpetua em questionamentos e deixa uma mensagem legal. A propósito, o final foi surpreendente e obtundente (eu não esperava aquilo, a autora me matou com tal revés). Por fim, para quem curte um triângulo amoroso daqueles, eis essa boa pedida.

A trama é narrada em segunda pessoa (algo que curti bastante, pois me fez mais íntima do contexto), com narrativa e diálogos de fácil compreensão; a diagramação está excelente, no formato digital; e a capa é muito bonita, estampando esse triângulo para lá de quente.


Livro: DUAS VIDAS, ENCONTRO #1
Autora: B. Pellizzer
Gênero: Drama/Romance
Editora: Raredes e Drago Editorial
Ano: 2015
Páginas: 574


Abraços literários,
Simone Pesci
http://simonepesci.blogspot.com/

Nenhum comentário

Olá, leitor!
Se você chegou até aqui, fique sabendo que já fiquei feliz!
Se quiser deixe seu comentário que responderei em breve! Se tiver blog saiba que logo logo lhe farei uma visitinha ♥