Relíquia Literária lida: O capote, de Nikolai Vassílievitch Gógol

 

Olá, pessoas, tudo bem? Cá estou eu mais uma vez para falar de uma Relíquia Literária que acabei de ler: O capote.

Ano passado eu fui só deixando "guardadas" as relíquias enviadas pois não estava lendo de acordo com o que eu queria (na verdade ainda não estou lendo muito não, tá? Mas estou caminhando para tal...)

Então somente agora que li O capote, de Nikolai Vassílievitch Gógol

O autor é é considerado o pioneiro na prosa russa moderna – pontuação embasada pela célebre frase de Fiódor Dostoiévski, “todos nós viemos de ‘O Capote’', em alusão ao seu conto mais famoso. Em suas obras, o escritor trouxe à tona uma visão satírica da realidade russa na primeira metade do século XIX (fonte: escotilha). 

Publicado pela primeira vez em 1842, o conto narra a história de Akaki Akakiévich, que trabalha em um ministério público russo e leva uma vida humilde e cheia de restrições. Com a chegada do rigoroso inverno, Akaki precisa dar um jeito em sua vestimenta surrada, que causa má impressão, mas recebe do alfaiate a triste notícia de que qualquer remendo estragaria ainda mais o seu capote. A busca por esta nova vestimenta cria um clima de obsessão em Akaki.


Eu achei super interessante a premissa da história. Na verdade não me lembro de já ter lido alguma coisa de literatura russa (coisa que tenho que mudar, né?). No começo parecia bem comum na verdade e eu me perguntava qual seria o plot ..srsrsrsrs...Mas quando finalmente aconteceu eu me surpreendi muito e achei a leitura ainda mais interessante do que estava no começo.

Estou muito contente com essa assinatura da Sociedade das Relíquias Literárias da Editora Wish. Provavelmente eu não conheceria os contos resgatados de outra maneira. 

Nenhum comentário

Olá, leitor!
Se você chegou até aqui, fique sabendo que já fiquei feliz!
Se quiser deixe seu comentário que responderei em breve! Se tiver blog saiba que logo logo lhe farei uma visitinha ♥