Li Hibisco Roxo (mais um da Chimamanda)



Uma vez eu li alguma coisa da Chimamanda sobre o "perigo de uma única". Quando você para pra pensar a grosso modo é bem complicado mesmo...como saber de mais coisas se você conhece apenas um lado da moeda? O que é bom ou ruim? Certo ou errado? Isso de uma forma muito simplista. Acho que foi um TED TALK que eu assisti, vou procurar pois quero ler/ ver de novo.

Em dezembro/2020 teve uma leitura coletiva no Blog Literature-se desse livro Hibisco Roxo, eu não consegui acompanhar muito bem, mas consegui ler o livro. Eu já tinha comprado em e-book há um tempo e não tinha lido ainda. 

O livro é um soco de todas as maneiras possíveis, uma leitura tão fluida e delicada, que nem parece que trata de coisas tão terríveis. A vida de Kambili em sua casa e na casa de sua tia é tão diferente que a gente consegue de cara perceber as duas realidades colidindo. O mundo de privações, onde ela tem que economizar até a água da descarga do banheiro acaba sendo um mundo mais feliz que o da sua casa. Na casa dela, onde tem um mundo de riquezas ela não é feliz. Mas será que ela sabe disso?

A Nigéria parece ser um lugar extremamente violento, quando a gente lê os livros da autora. Violento e cheio de tradições. E muito religioso também. É uma outra cultura, muito rica e que vale a pena mergulhar mais a fundo.

Em Hibisco Roxo temos a história de Kambili, uma adolescente que vive com os pais e o irmão, Jaja, numa casa cheia de luxo e de rigidez. É uma coisa estranha, o pai é violento e a mãe, "conivente". Kambili não pode visitar ou falar direito com o avo, que o pai julga pagão. O pai é meio fanático pelo catolicismo. É muito estranho, tendo em vista que essa não parece ser a religião majoritária lá na Nigéria. Ele não atura o pai, mas tolera a irmã, que leva as crianças para passarem um tempo com ela. E isso muda tudo na vida de Kambili.

Acho que é um livro para ler e reler para entender as sutilezas da escrita da autora, que hoje é uma das mais famosas do seu país. 

Eu ficava "meu Deus, como eles aceitam tudo isso??? - Como pode haver esse tipo de "pobreza"?

Muitas perguntas sem resposta. Ou de repente era só para gente pensar mesmo. E conhecer uma história diferente da nossa.

Vale muito a pena. Segue o link, para quem quiser. 




Um comentário

  1. Reeeê!!! Tdo bem?
    Voltei pro blog, espero reencontrar algum povinho da antiga...sobre o livro não conhecia mais parece ser bem pesado mesmo. Em uma leitura coletiva eu li um livro nessa pegada e meu fiquei bastante reflexiva tbm...vou anotar a dica

    Bjos
    https://quemevcbrubs.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Olá, leitor!
Se você chegou até aqui, fique sabendo que já fiquei feliz!
Se quiser deixe seu comentário que responderei em breve! Se tiver blog saiba que logo logo lhe farei uma visitinha ♥