Vi o filme Socorro, virei uma garota! com a maravilhosa Thati Lopes (adoro ela)

 

Depois de ver Carlinhos e Carlão eu queria muito ver Socorro, virei uma garota! com a fofa Thati Lopes no elenco.

Na verdade já tinha visto o trailer há um tempo atrás e lembrei dele de novo depois que vi Carlinhos e Carlão. Essa menina é ótima, merece brilhar na TV ou no cinema e mostrar mais do talento que tem.

Júlio (Victor Lamoglia) é um garoto tímido, praticamente invisível aos olhos de seus colegas de colégio. Um dia, ao ver uma estrela cadente, ele faz um pedido: deseja ser a pessoa mais popular da escola. Logo ele se transforma em uma garota, Júlia (Thati Lopes), que é extremamente popular. Sem saber como lidar com o corpo feminino que acabou de ganhar, ele precisa ainda lidar com a proximidade de Melina, a garota por quem é perdidamente apaixonado.


Então....engraçado o filme é, não se pode negar. Mas tem aquele monte de clichês e super estereótipos que a gente meio que já sabe como termina e confesso que nem morri de amores, o que pensei que ia, já que o trailer realmente chama a atenção. E pior, nem dei tanta risada assim quanto achei que fosse dar...

Nada contra o estereótipo do nerd, agora geek, que é gamado na menina mais bonitinha do colégio...E que namora um brutamontes. Mas o namorado chato da garota nem aparece muito (graças a Deus). Só num comecinho meio blé...na verdade totalmente blé...E ainda bem que depois some.


Nessa situação aí da estrela cadente, Júlio pede para ser a "pessoa" mais popular. E pedido atendido, ele vira Júlia, uma menina super hiper mega ultra descolada, popular até os ossos, cheia de amigas com a cabeça tão vazia quanto a dela. E detalhe, dona de um canal de make no You Tube que tem sei lá quantos milhões de seguidores. 

Thati Lopes carrega o filme nas costas. Ora nos gritos histéricos, quando descobre que virou uma garota e "gostosa", ora de desespero por querer que o "amigo de infância" ajude a reverter a situação.

Todo aquele clichê de mina mais popular, que todos conhecem, todos são amigos ou querem ser...Todos os caras querem namorar. A cena do namorado no pátio do colégio é engraçada e o ator Lippy Adler segura bem o estereótipo do namorado mais velho, machão, bombado e pegador tomando um belo pé na bunda ahahahahaha. Estilo burro total...

Não sei dizer porque o filme não me chamou tanta atenção assim. De repente foi porque não se aprofundou tanto no tema, fez tudo o que outros já fizeram...Não sei, eu esperava bem mais...Eu adoro um clichê, como vamos fazer diferença nisso é que é o pulo do gato.

Segundo o Adoro Cinema o filme foi classificado como "ruim" por conta do tom machista e pouco sensível do cara vivendo no corpo uma mulher. Como se os roteiristas não tivessem dado muito atenção ao assunto. Tem algumas sacadas boas, quando o irmão bombado numa vida e paspalho na outra fala para Júlia que cresceu ouvindo o pai falando "não faça com os outros o que não querem que façam com sua irmã." Tá, mas aí ele virou um paspalho??? 

Enfim, eu até veria o filme de novo e recomendaria, mas foi uma pena. Poderia na simplicidade ter rendido muito mais.




 


Nenhum comentário

Olá, leitor!
Se você chegou até aqui, fique sabendo que já fiquei feliz!
Se quiser deixe seu comentário que responderei em breve! Se tiver blog saiba que logo logo lhe farei uma visitinha ♥