✊ “De bala em prosa”, finalista do Prêmio Jabuti - Editora Elefante

 


Os elefantes estão muito muito muito felizes em ver De bala em prosa: vozes da resistência ao genocídio negro entre os dez finalistas do Prêmio Jabuti na categoria Crônica

Essa é a quarta vez que a editora é notada pelo júri do pequeno quelônio literário (Corumbiara, caso enterrado, Branco vivo e Raul já figuraram na lista). Não se sabe se o livro estará entre os cinco que efetivamente concorrerão à honraria. Mas se trata da indicação mais especial....




Publicado no comecinho de 2020, De bala em prosa originou-se da chamada pública “80 tiros, 01 livro?”, lançada nas redes sociais da Elefante em 9 de abril de 2019. A iniciativa foi motivada pelo trágico episódio que, dois dias antes, havia tirado a vida do músico negro Evaldo Rosa dos Santos no Rio de Janeiro. Ferido na mesma ocasião, o catador de materiais recicláveis Luciano Macedo, também negro, morreria uma semana depois, no hospital. Evaldo e Luciano foram vítimas do Exército brasileiro.

Na tarde do dia 7 de abril de 2019, um domingo, doze militares descarregaram os fuzis contra o Ford Ka branco em que Evaldo trafegava com a família, na zona oeste carioca. O grupo se dirigia a um chá de bebê; Luciano, que passava pelo local no momento dos disparos, foi alvejado ao tentar ajudar os passageiros do automóvel atacado. As primeiras notícias davam conta de que os soldados haviam disparado “mais de oitenta” projéteis em direção ao carro. O número exato — e ainda mais estarrecedor — seria revelado depois, pela perícia: os militares, na realidade, puxaram o gatilho 257 vezes.

Tomados pela revolta, foi proposto a publicação de uma coletânea para que escritoras e escritores afrodescendentes expressassem, em prosa não ficcional, suas visões internas do genocídio, do qual as mortes de Evaldo e Luciano — e as reações do Estado e de seus representantes — foram apenas mais um triste e doloroso capítulo. Foram mais de 120 textos, dos quais 24 selecionados. A curadoria ficou a cargo de Vanessa Oliveira, Gabriel Rocha Gaspar e Túlio Custódio.

Assim, De bala em prosa nasceu com um objetivo político claro e sem nenhuma finalidade comercial. Foram impressos e distribuídos gratuitamente, entre autores e parceiros, 1.500 exemplares — os leitores também puderam encomendar o livro pelo site apenas pelo preço de custo do envio. 

Para que ninguém tivesse o acesso prejudicado às crônicas, o mesmo arquivo enviado para a gráfica foi disponibilizado na internet. Até agora, houve pelo menos 1.931 downloads do PDF e 57.796 do e-book

A indicação de De bala em prosa entre os dez finalistas do Jabuti vem coroar um processo editorial coletivo e militante que, sim, enfrentou muitas dificuldades e ofensas pesadas, mas que conseguiu se realizar graças ao empenho das pessoas que acreditaram no projeto.

UM SUPER PARABÉNS!!!















Nenhum comentário

Olá, leitor!
Se você chegou até aqui, fique sabendo que já fiquei feliz!
Se quiser deixe seu comentário que responderei em breve! Se tiver blog saiba que logo logo lhe farei uma visitinha ♥